FORMIGAS - pequenas, mas perigosas !

26/04/2013 16:08

FORMIGAS - Pequenas, mas perigosas

18 de Abril de 2013

Veja como combater as formigas, minúsculos e organizados insetos que se multiplicam e infernizam sua vida. Especialistas em saúde e contaminação de ambientes advertem que estas pequenas criaturas podem contaminar grandes espaços. Os mais rígidos afirmam que são mais ofensivas e prejudiciais, em potencial, do que as temidas baratas.

 

Importantes para o meio ambiente, pela aeração do solo que realizam, as formigas estão em primeiro lugar no ranking de insetos com família mais populosa. Mas, se o seu estilo de vida conquista a nossa simpatia em documentários sobre o mundo animal, tudo muda quando estes pequenos e organizados insetos resolvem montar casa em nosso apartamento.

Fileiras sem fim percorrendo a mesa do jantar, a pia, paredes, armários, dispensa, e seguindo da cozinha para o banheiro e vice-versa. Passando pelo quarto do bebê ...

Segundo especialistas, em áreas urbanas são encontradas várias espécies de formigas. Mas, a maioria é de “doceira”, ou Tapinoma melanocephalum.

Elas aparecem em maior número de acordo com a oferta de alimentos encontrada. Farelos de pão, bolo, biscoito. No entanto, elas também se alimentam do que encontram no lixo e nos banheiros, áreas contaminadas por diferentes microrganismos patogênicos.

“As formigas são vetores mecânicos de patógenos (causadores de doença) como a salmonela, bactérias que pode ocasionar doenças de natureza gastrointestinais. Uma colher que se leve à boca, depois de uma única delas ter passado por ali, e você pode se contaminar”, alerta o Rogério Fernandez, consultor da ABCVP (Associação Brasileira de Controle de Vetores e Pragas).

 

Combate sem trégua

Mantenho a casa o mais limpo possível, e ainda assim não consigo dar fim as formigas”, reclama uma moradora. Ela não está sozinha.

Mesmo com todos os cuidados, as formigas podem aparecer em qualquer lugar, pois transitam o tempo todo em busca de alimentos. Podem vir da casa de vizinhos, de outros andares e até de outros prédios.

Os formigueiros podem facilmente ser construídos no interior das edificações, em espaços minúsculos como as frestas entre azulejos. Dependendo da espécie pode haver um único formigueiro, ou vários, e com rainhas em todos eles. A única forma de combater um formigueiro é matando a sua rainha.

Seja pela farta oferta de alimentos e abrigo nas residências, seja pela necessidade de encontrar a colônia para eliminar a rainha, o combate às formigas não é fácil.

Diferente de outros insetos, como os mosquitos, as formigas não dependem de sazonalidade, e não são combatidas nas dedetizações preventivas.

Seu combate é pontual e sempre depois que a infestação já está instalada, pois a melhor metodologia para este controle ocorre por iscagem de produtos profissionais”, explica Fernandez.

 

Dedetização com iscas

A higiene do ambiente é fundamental. No entanto, como não é possível manter uma higiene 100% de toda a edificação, apesar de as formigas serem frágeis, e soluções caseiras, como passar detergente, ou jogar água quente, sobre a trilha, funcionem para matá-las, não é possível impedir que outras venham percorrer o mesmo caminho logo em seguida.

Para um resultado eficiente, a orientação dos especialistas é no sentido de se recorrer às dedetizações que são realizadas com iscas. Elas contêm produtos químicos adequados, registrados pelo Ministério da Saúde.

As formigas são contaminadas e, retornando à colônia, exterminam todos os indivíduos, inclusive a rainha”, explica Fernandez, acrescentando que o serviço deve ser feito por empresa especializada e credenciada.

Para um leigo, identificar locais, quantidade de iscas e outros detalhes técnicos para o combate às formigas, de acordo com as peculiaridades da espécie, é difícil”, conclui.

 

Especialista dá as principais dicas

  • Para evitar as formigas é fundamental tomar cuidado com o armazenamento dos alimentos. Ao chegar do mercado, retire os alimentos das embalagens e acondicione-os em potes hermeticamente fechados.
  • Vede buracos, frestas e vãos entre os azulejos, nas paredes etc. Use silicone, cimento branco ou poliuretano expansivo, mas não deixe nem o menor dos espaços para evitar que construam ali um novo formigueiro
  • Acondicione bem o lixo, procurando mantê-lo o mínimo de tempo dentro de casa e sempre conservado em sacos e recipientes fechados
  • As soluções caseiras são paliativas, mas valem como coadjuvantes. Coloque um punhado de cravos-da-índia em um litro de álcool, deixe em repouso por uma semana. Depois, molhe um pano na solução e passe na pia, em rastros de formigas ou em buracos entre os azulejos
  • Procure empresas especializadas no controle de pragas que sejam licenciadas por órgãos governamentais competentes. A Associação Brasileira dos Controladores de Vetores e Pragas – ABCVP – mantém em seu site uma lista das empresas legalizadas (www.abcvp.com.br)